AGED intensifica monitoramento preventivo da praga Mosca-da-Carambola

Essa praga é considerada uma ameaça à expansão da fruticultura


Por Suyane Scanssette
19/11/2020 14:50

A Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED/MA) vem realizando, periodicamente, a manutenção de 50 armadilhas de detecção para o monitoramento preventivo da praga Bactrocera carambolae, conhecida como Mosca-da-Carambola, em parceria com a Superintendência Federal de Agricultura no Maranhão – SFA-MA/MAPA. Apesar do nome, a praga faz parte do mesmo grupo de mosca das frutas e ataca outras culturas como da manga, laranja, goiaba, jambo, caju, graviola, tangerina, taperebá, tomate, entre outras. Essa praga ataca mais de 30 espécies frutíferas,  representando uma forte ameaça à expansão da fruticultura em todo o País.

Durante a ação da AGED, foram monitoradas nas Unidades Regionais de Santa Inês (9 armadilhas) e de Zé Doca (41). A UR de Santa Inês possui  2 armadilhas no município de Bom Jardim e 7 em Santa Inês.

Já na UR de Zé Doca há 41 armadilhas instaladas, sendo uma de prospecção. As armadilhas estão distribuídas da seguinte forma: em Zé Doca, 3 armadilhas na sede e uma de prospecção na zona rural, ou seja, essa  armadilha de prospecção é instalada e inspecionada 14 dias após a instalação e desinstalada, com repetição trimestral; em Boa Vista do Gurupi  e Carutapera foram 7 armadilhas em cada município; em Amapá do Maranhão, Governador Nunes Freire, Centro Novo do Maranhão, Cândido Mendes e Junco do Maranhão foram 3 armadilhas em cada localidade; em Maracaçumé foram 5; em Luís Domingues foram 2; e em Godofredo Viana e Santa Luzia do Paruá tiveram uma armadilha implantada em cada.

De acordo com a gestora da UR de Zé Doca Cleide Cunha, o monitoramento da praga é realizado a cada 14 dias e consiste na substituição do piso adesivo e da isca tóxica, na manutenção da armadilha para garantir a sua funcionalidade e, no preenchimento da ficha de supervisão de cada armadilha.

Diversas ações de prevenção como  instalação/manutenção de armadilhas, coleta de amostras para análise técnica e possível identificação do espécime, produção e confecção de material informativo e realização de palestras/reuniões técnicas sobre a praga são executadas por equipes técnicas da AGED.

O Maranhão, Estado classificado como de alto risco para a entrada e dispersão da praga, executa o Programa Nacional de Erradicação da Mosca da Carambola do Ministério da Agricultura que visa erradicar a praga no país, garantir as exportações de frutas e de seus produtos e a oferta de alimentos de qualidade à população.

Além de Santa Inês e Zé Doca, há também armadilhas instaladas nas URs de Pinheiro, Açailândia, Imperatriz e São Luís, totalizando em 95 armadilhas. Até o momento, não há ocorrência da praga no Maranhão.

Instagram: www.instagram.com/aged.ma

Facebook: www.facebook.com/aged.ma 

Twitter: www.twitter.com/Aged_Maranhao