AGED e secretários municipais de agricultura discutem melhorias na imunização contra aftosa do gado do pequeno produtor

23 municípios maranhenses tiveram índice de cobertura vacinal contra aftosa abaixo de 90%

Por Suyane Scanssette
08/10/2020 10:12

A Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED/MA) reuniu com secretários municipais de agricultura e gestores regionais da Agência para tratar das melhorias do índice de cobertura vacinal contra febre aftosa, especialmente em 23 municípios maranhenses que nas últimas campanhas de vacinação (entre 2017 e 2020) tiveram índice abaixo do que é preconizado pelo Ministério da Agricultura que é de 90% de animais imunizados.

Vacinar todo rebanho é fundamental para fazer a retirada da vacina e o Estado avançar para o status sanitário de zona livre de aftosa sem vacinação. A parceria entre o sistema de defesa agropecuária e o produtor é fundamental para a execução exitosa das ações estaduais do plano estratégico nacional de ampliação da zona livre de febre aftosa no Brasil e avanço no status sanitário.

Durante a reunião, a AGED apresentou aos secretários municipais o rebanho inadimplente na primeira etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa deste ano. Os números apontaram que 13.286 produtores, que possuíam entre 0 a 20 cabeças de gado, não imunizaram os seus animais. Isso representa 78% dos inadimplentes na referida etapa da campanha.

“Devemos auxiliar nosso pequeno produtor, todos juntos dar as mãos para encontrarmos soluções e avançarmos para a retirada da vacina logo em breve”, declarou Margarida Prazeres, fiscal estadual agropecuário da AGED e responsável técnica no Maranhão pelo Plano Nacional de Erradicação da Febre Aftosa – PNEFA.

Uma das propostas apresentadas foi a da AGED fornecer a lista de produtores e as prefeituras fazerem a conferência in loco das propriedades, uma vez que muitos produtores possuem o cadastro, mas já não criam mais os animais, sejam bovinos ou bubalinos. Outra solução é maior investimento em educação sanitária e saúde mostrando a importância da vacinação e do processo para retirada da vacina.

A secretária de agricultura do município de Coroatá, Lilian Pinheiro relatou que a prefeitura realiza a doação de vacinas contra a febre aftosa para os pequenos produtores há três anos e três mil doses foram entregues para auxiliar na campanha de 2020. Segundo ela, a maior dificuldade é fazer o controle da vacinação do que foi doado.

Para o secretário de agricultura de Brejo de Areia, Filemon Silva outra dificuldade é a ignorância do pequeno produtor sobre a importância de manter os índices vacinais elevados, mesmo não ocorrendo mais a enfermidade e sobre os prejuízos que ela pode gerar ao atingir os rebanhos do município.

Participaram da reunião os secretários de agricultura dos municípios de Codó (Gervásio Rodrigues), São Félix de Balsas (João Pontes), Brejo de Areia (Filemon Silva), Coroatá (Lilian Pinheiro), de Fortaleza dos Nogueiras (Genazar Alves), de Burititi Bravo (André), além dos gestores regionais da AGED de Balsas, Codó, Santa Inês, Barra do Corda, da responsável técnica do PNEFA, Margarida Prazeres e do coordenador de educação sanitária da AGED, João Batista.

Acompanhe nosso trabalho também nas redes sociais:

Instagram: www.instagram.com/aged.ma

Facebook: www.facebook.com/aged.ma 

Twitter: www.twitter.com/Aged_Maranhao